Monthly Archives: June 2013

… Daí que eu me aventurei a fazer feijão e lentilha.

Image

Image

 

Dia desses, conversando com a minha colega, comentei que sentia muito cansaço aqui em Dublin. Não sabia se era porque tinha aula todos dias de manhã cedo, se era porque andava demais, ou porque sempre tinha algo pra fazer. Ou tudo junto. Ela me falou “é a alimentação!”. Eu discordei, porque acho que minha alimentação aqui é razoavelmente boa, diversificada, sempre procuramos colocar legumes, vegetais, comer coisas saudáveis. Aí ela me falou “é, mas tu tem comido ferro?”. Aí o problema que eu expliquei pra ela, que é espanhola, foi o seguinte: sou brasileira, e o feijão que eu estou acostumada a comer é muito diferente do que aquele que vendem nos supermercados. Aqui, é tudo enlatado. Latinhas pequenas dum feijão feio e sonso num molho de tomate. É a visão do inferno. Moral da história, é impossível comer feijão. “Mas tu pode comprar feijão e lentilha no mercado indiano”. Ahn? Isso existe? E, na curiosidade, fui lá ver… E, rapaz! Uma variedade de lentilha e feijão, viu. Escolhi aqueles que eram mais parecidos com os que eu como no Brasil e pedi ajuda no facebook pra dona do melhor feijão do mundo: mamãe! Moral da história, mesmo sem panela de pressão, o feijão ficou delicioso. E a lentilha não fica por menos não! Uma opção barata, surpreendentemente gostosa e nutritiva!

… Daí que eu fui pra Galway.

… E posso dizer sem sombra de dúvidas: a melhor viagem, até agora!

Galway fica no extremo oposto da Irlanda, do lado do Oceano Atlântico, há mais ou menos 3hs de distância de ônibus de Dublin. Na verdade de verdadinha aproveitamos pouco de Galway propriamente dita, porque no mesmo fim de semana visitamos também os Cliffs of Moher e fomos até as Aran Islands. Então, vamos por partes, como diria Jack:

 

… Daí que começamos pelos Cliffs of Moher.

Image

 

A paisagem é extraordinária, dizendo pouco. Dessa vez, vocês podem ver, o clima ajudou muito! Acho que foi a temperatura mais quente que já peguei na Irlanda: 24º. Dia lindo, sol maravilhoso, pouquíssimas nuvens no céu e essa paisagem deliciosa. Ficamos um tempão passeando por lá, e nem vimos o tempo passar. Parecia que quanto mais andávamos, mais bonita a paisagem ficava… acreditem! Vale muito a pena conhecer esses Cliffs, que são um dos pontos turísticos mais visitados da Irlanda!

Image

 

 

… Daí que fomos passar a noite em Galway

Image

Foto do pub que visitamos.

Nota-se que Galway é uma cidadezinha de interior. Apesar de Dublin ser pequena, Galway tem um ar de “todo mundo se conhece” e “tudo é perto” que tu só vê no interior mesmo. Não vimos muito da cidade, como eu já disse antes, porque já chegamos no final do dia, cozinhamos pra não morrer de fome e fomos até o pub. O que valeu aí foram as boas companhias, certamente! E de noite, no hostel, um calor infernal (sim, porque aqui 24º é um calor infernal), fomos dormir de janela aberta e… adivinha? Umas 50 gaivotas no telhado do prédio em frente, achando que tavam na Disney. Foi a primeira vez na vida que eu dormi embalada ao som de gaivotas!

E na parede do hostel tinha esse recadinho legal:

Image

 

 

… Daí acordamos e fomos direto pras Aran Islands.

Image

Pegamos o ferry, que é um barco de nome pomposo, e fomos pra ilha. Simplesmente linda!  Coloca no chinelo muita praia brasileira. Água cristalina, colinas verdes, areia branquinha… Alugamos uma bicicleta pra passear por lá, e ali ficamos o dia todo. Simplesmente perfeito. E, claro, no calor que fez, somado ao exercício da bicicleta, no minuto em que pisamos nessa praia nos jogamos na água com a roupa que dava pra ir. Gente doida, mas feliz!

Image

E aí ta a foto do nosso barquinho! Sei que vale muito a pena esse roteiro, mas claro, com um dia maravilhoso pra acompanhar tudo. Aí tudo vale muito a pena!

 

… Daí que eu fui pra Howth.

Image

(Foto sutilmente furtada do facebook do Dal porque a bateria da minha câmera morreu no caminho..!)

 

Howth é uma cidadezinha portuária com cheiro de peixe. É a melhor descrição que eu posso dar. Como dá pra ver pela foto, o tempo não ajudou muito, mas fizemos uma trilha pelos morrinhos e deu pra ter uma vista bem legal. A Irlanda possui paisagens muito bonitas, e quando o sol ajuda, a gente se privilegia! Nesse caso, Howth é um lugar muito legal pra fazer uma trilha num dia de sol, eu imagino!

… Daí que eu me mudei

…E finalmente vim escrever um post sobre isso!

Image

Foto da sala de estar, é claro, porque FINALMENTE temos uma sala!!

 

Bem, acontece que já faz um mês que eu estou nesse flat, e por mais incrível que pareça eu não tive tempo de vir aqui escrever. Tem sempre muitas coisas acontecendo, e quando eu penso no tamanho da atualização eu já desanimo…! Mas vamos lá, vou dar uma encurtada na história.

Vocês bem sabem que eu morava num quarto alugado numa casa com uns 15 quartos, onde eu não tinha sala de estar, e onde o banheiro e a cozinha eram comunitários. A cozinha não tinha fogão, era um forno elétrico com duas bocas em cima, demoraaaaaaado…! E, vez ou outra, sumia o nosso óleo de oliva, vinagre, “aquele frango era meu ou dela?” e coisas do gênero. Nos incomodamos com os outros moradores, o landlord vivia no quarto do lado e vez ou outra a gente se atazanava com isso, mas o principal MESMO é que não tínhamos nenhum lugar pra ficar na casa, só o nosso quarto. Ou melhor, ficar o dia todo na cama mesmo. A localização era ótima, mas estávamos cada vez mais “atiradas” dentro do quarto, que não tinha espaço suficiente para nós. Pensando nisso, procuramos algo mais barato e que fosse uma “casinha de verdade”, por assim dizer. Coloquei alguns filtros nos sites pra aluguel de casas, e encontramos este flat. Depois de muita negociação com o landlord (esse muito querido, por sinal), conseguimos convencê-lo a colocar 3 pessoas nesse flat de 1 quarto. Não é a oitava maravilha do mundo, mas com pessoas que a gente se dá bem tudo fica tranquilo. Ainda não achamos a terceira pessoa pra ficar definitivo morando com a gente, e por enquanto estamos com alguma temporárias, mas o importante é: temos sala. Temos fogão (BOM!). Temos privacidade. E, embora seja lá onde juca perdeu as botas (30 minutos andando até a escola!), é uma zona muito boa, tranquila de se andar de noite, bem residencial. Moral da história: estamos felizes! 🙂

 

E tem algumas outras curiosidades que eu queria contar pra vocês, e esqueci de colocar no outro post…

… Daí que aqui ninguém compra copo.

A moral é furtar dos pubs mesmo. E se você tá aí pensando: “nossa, tinha que ser essa brasileirada que invade os outros países pra fazer baderna”, você está redondamente enganado. Aqui o que você mais vê é irish colocando seu copinho dentro da bolsa ou do casaco quando acaba a sua pint. Eu que sou brasileira (e, segundo manda a cultura, malandra) ainda não tive coragem de fazer uma dessas, mas é por excesso de vergonha na cara mesmo, porque é a coisa mais comum que acontece nos pubs. E eu acho que o maior motivo disso é pela grande diversidade de copos belíssimos que eles tem, de todas as marcas possíveis e imagináveis, com vários formatos e emblemas. É como um pequeno troféu daquela cerveja que você tomou e que não existe no Brasil. Vai acreditando em mim, porque é assim mesmo que as coisas acontecem!

… Daí que não existe conta de água.

Sempre ouvi falar que na Europa havia falta de água, mas me explica essa daí: o país não possui conta de água. Essa é uma que até hoje eu não entendo, mas acho o máximo. Existem alguns boatos de que esse ano instaurarão essa conta fixa, dada à crise européia. O fato é que hoje, 25/06/2013, conta de água é uma coisa que você não precisa se preocupar se está na Irlanda. E o melhor disso, sinceramente, é que você pode ir num pub e pedir um copo de água com gelo e limão e, adivinha? É de graça! Pode tomar galões de água se você quiser, é free. E aqui é super comum tomar água da pia, viu? É bem estranho no começo, mas acaba se tornando um hábito, porque todo mundo serve água da pia pra você (e óbvio, se você está com sede, não vai reclamar). Dizem por aí que não é a coisa mais saudável do mundo, pelo flúor e tudo mais, mas só pra passar um tempo de intercâmbio não vai matar ninguém não! E, lembrando: é uma das poucas coisas de graça que você vai ter por aqui!!